sexta-feira, 27 de abril de 2012

A realidade energética dos bancos

Muitas vezes uma bonita casa ou apartamento pode esconder realidades que muitos nem sequer desconfiam. Por trás da beleza de um jardim bem regado, de muros altos de concretos com seus bonitos portões ou sofisticados equipamentos de monitoramento eletrônicos que tanto embelezam a parte física dessas propriedades pode se escondem uma realidade triste, nervosa e perversa. Um exemplo dessa realidade pode ser dada por meio de uma experiência que eu tive há pouco tempo quando estava andando a pé em uma certa avenida. De repente não me senti bem. Senti o ar mais quente e percepções não muito agradáveis pelo corpo.
Ao olhar para meu lado percebo que eu estou em frente a um banco especializado em empréstimos. Para uma pessoa comum, poderia ser mais um banco. Mas para um sensitivo, aquele era um lugar que estava mergulhado em competitividade, maldade. Cujo principal objetivo era o de roubar, retirar das pessoas o que elas não tem.
Ao passar por aquele local eu compreendi o porque tantos funcionários pedirem demissão destes empregos apesar de muitas vezes ganharem relativamente bem. Talvez eles não percebam diretamente, mas lá eles são sugados energeticamente, levando a aura de agressividade para suas próprias famílias, endurecendo e envenenando seus próprios corações.
Ao passar por este ambiente, preferi nem orar. Sabia que iniciaria um guerra grave e preferi nada fazer. Mas  recomendo muito amor no coração para todos que são perceptivos e para os que não são, para que estejam sempre no amor e no bem.