domingo, 29 de julho de 2012

Entre espíritos e pessoas

Muitas vezes, ao lidar com um problema,  o mais importante é permanecer calmo



Acredito que seja mais difícil lidar com pessoas difíceis do que com espíritos difícies. Devido ao corpo que possuem, as pessoas tendem a ficar presas na terra enquanto estão acordadas. Por este motivo mesmo é que acho mais complicado lidar com seres encarnados. Imagine o leitor que tenha em si uma alta clarissensibilidade que lhe confere a capacidade de sentir a maldade e a bondade dos espíritos encarnados e desencarnados.

Imagine desse modo, que está em uma certa sala, numa reunião entre colegas. Você sente a maldade deles. Mas precisa deles para trabalhar, sustentar-se. Desse modo, mesmo orando, você não tem como escapar. Tem de ficar ali, sentindo-se mal e muitas vezes tendo sua energia sugada por tais pessoas. O que deveria o leitor fazer? Tentar proteger-se, fechando sua aura.

Um modo bastante eficiente de fechar a própria aura é imaginar que você é um ser impenetrável, protegido por um enorme escudo, como um guerreiro do mesmo modo que São Jorge. Tenho constatado que tal mecanismo tem me ajudado quando eu mais necessito de ajuda energética.

No caso de um desencarnado mau perto de si, você poderá fazer orações e mais facilmente ele será conduzido para a luz ou para longe de você. Dependendo do seu nível moral talvez ele saia diante da sua presença por não se sentir bem com a sua bondade.

Para um clarissensitivo, portanto, as vezes é mais fácil lidar com um espírito do que com uma pessoa.


Fique a vontade para comentar! 
Um abraço de luz!